Concerto de Páscoa em Tavira

No âmbito das comemorações da Semana Santa e do programa “Tavira, Património e Artes” realiza-se, no dia 16 de abril, pelas 18h00, na Igreja do Carmo, o concerto de Filomúsica Ensemble: “Stabat Mater Dolorosa” de Giovanni Battista Pergolesi.

 

No âmbito das comemorações da Semana Santa e do programa “Tavira, Património e Artes” realiza-se, no dia 16 de abril, pelas 18h00, na Igreja do Carmo, o concerto de Filomúsica Ensemble: “Stabat Mater Dolorosa” de Giovanni Battista Pergolesi.

Com direção musical de Kodo Yamagishi, o programa de Páscoa integra o seguinte alinhamento:

 

Stabat Mater Dolorosa

Cujus animam gementem

O quam tristis et afflicta

Quae moerebat et dolebat

Quis est homo

Pro peccatis suae gentis...

Vidit suum dulcem natum

Eja mater fons amoris

Fac ut ardeat cor meum

Sancta mater, istud agas

Fac ut portem Christi mortem

Inflammatus et accensus

Quando corpus morietur

Amen

As solistas Ana Cosme (soprano) e Conceição Brandão de Sousa (meia-soprano), juntamente, com as vozes de Filipa Lopes, Carolina Raposo, Ana Sêrro, Carmen Matos, Luísa Tavares, Ana Serôdio, Estrela Martinho e Madalena Paiva, acompanhadas ao violino por Luís Santos e Sónia Carvalho, à viola por Cecília Neves e ao violoncelo por Emídio Coutinho interpretam o reportório de um dos grandes músicos do barroco italiano Giovanni Battista Draghi, de alcunha Pergolesi (1710-1736).

 

Acerca do compositor:

Giovanni Battista Pergolesi foi organista, violinista e compositor de ópera e música sacra.

A imagem de Pergolesi cristalizou-se, ao longo dos séculos, com base em poucas obras. É considerado por muitos especialistas como o “pai” da ópera cómica. Só recentemente foi recuperada toda a extensão da sua obra.

A sua música – nem sempre bem recebida – testemunha uma personalidade criativa extremamente sofisticada e complexa, restituindo-nos uma época e uma sociedade observada e interpretada através de múltiplas dimensões.

As suas obras sacras são caracterizadas pela solenidade e imponência, mas também pelo intimismo comovedor, onde o sagrado é entendido como fonte de experiência emocional e a divindade se revela através da tensão e da plenitude do sentimento. Dentro do espírito barroco, sente-se, no entanto, neste Stabat Mater uma dor contida e digna.

Nas óperas, Pergolesi começou por escrever intermezzi que seriam tocados nos intervalos de óperas sérias em dois atos, e recebeu apoio de amigos, como, por exemplo, Jean-Philippe Rameau. Também escreveu diversas árias italianas ao estilo canzone, de muito bom gosto lírico.

Outros géneros de composições de Pergolesi incluem sonatas e concertos para violinos.

Este Stabat Mater foi composto no final da sua vida, já em 1736, tal como o atesta o manuscrito, encomenda da Confraternità dei Cavalieri di San Luigi di Palazzo. Foi escrito num convento franciscano onde Pergolesi se encontrava internado com tuberculose, tendo ganho uma enorme popularidade após a sua morte. 

 

Ademar Dias

ÚLTIMAS

Há: 11 horas

Há: 12 horas

Há: 13 horas

 

Localização

Rua dos Pelames - Terminal Rodoviário, 1º Andar 8800 Tavira, Portugal

 

 

 

 

 

Contactos

Telefone: +351 281 380 240

Emails:

Geral: horizontealgarve@gmail.com

Secretaria: horizontesecretaria@gmail.com

Redação: horizontenoticias@gmail.com

 
Zircon - This is a contributing Drupal Theme
Design by WeebPal.