N Engenheiros
Portugal tem as crianças menos saudáveis da União Europeia

Em 2017, 1,1% das crianças e jovens até aos 16 anos estavam em mau ou muito mau estado de saúde. A média dos países membros era de 0,8%. Os dados são do Eurostat.

 

Vidreira Louletano

Infiltração Zero

Portugal apresentou, em 2017, a menor percentagem de crianças até aos 16 anos em bom ou muito bom estado de saúde (90,2%) da União Europeia, sendo a média dos 28 de 95,9%, segundo dados divulgados, esta terça-feira, pelo Eurostat.

Em Portugal, 1,1% das crianças e jovens até aos 16 anos estavam, em 2017, em mau ou muito mau estado de saúde (UE 0,8%), 8,7% em estado classificado como razoável (UE 3,4%) e 90,2% em bom ou muito bom (UE 95,9%), sendo este o valor mais baixo da UE.

O top três dos países com a maior percentagem de crianças e jovens em boa ou muito boa saúde são Roménia (99,4%), Itália (98,8%) e (Bulgária 98,3%). Os três países com a menor percentagem de crianças e jovens em boa ou muito boa saúde são Portugal (90,2%), Lituânia (90,7%) e Estónia (91,9%).

Na faixa etária até cinco anos, Portugal tinha uma percentagem de 93,3% de crianças em boa ou muito boa saúde (UE 96,5%), com a Bulgária a apresentar a maior taxa (99,6%), seguindo-se a Roménia (99,4%).

A Estónia (92,4%) teve a pior taxa, seguida da Polónia (93,1%), da Lituânia e de Portugal (ambos com 93,3%).

Na faixa entre os cinco e os nove anos, Portugal teve uma taxa de 89,3% de crianças bem ou muito bem saudáveis (UE 95,9%), a percentagem mais baixa da UE, com a Roménia a liderar a tabela (99,8%), seguida de Chipre (98,8%) e da Itália (98,8%).

A segunda pior taxa foi registada na Lituânia (91,2%) e a terceira na Polónia (93,4%).

Entre os 10 e os 15 anos, Portugal teve a segunda mais baixa taxa (88,7%) de crianças em bom ou muito bom estado de saúde (UE 95,2%), depois da Letónia (88,0%) e seguido da Estónia (89,6%).

As melhores percentagens, por seu lado, foram observadas na Roménia (99,1%), Chipre (98,4%) e Espanha (97,4%).

No que respeita a crianças sem qualquer limitação nas atividades devido a problemas de saúde, Portugal teve, em 2017, uma percentagem de 94,8%, abaixo da média da UE (95,2%), com a Letónia a apresentar a menor percentagem (87,6%), seguida pela Dinamarca (91,1%) e Lituânia (91,3%).

As maiores percentagens de crianças sem qualquer limitação na atividade por problemas de saúde foram registadas em Itália (99,2%), seguida pelo Chipre (98,3%) e a Grécia (98,1%).

Mais informações em https://ec.europa.eu/eurostat/documents/2995521/9550240/3-05022019-BP-EN.pdf/f426eec4-bbff-48f0-8084-88d721fa49ef

Ademar Dias

ÚLTIMAS

Há: 39 minutos

Há: 40 minutos

Há: 2 horas

 

Localização

Rua dos Pelames - Terminal Rodoviário, 1º Andar 8800 Tavira, Portugal

 

 

 

 

 

Contactos

Telefone: +351 281 380 240

Emails:

Geral: horizontealgarve@gmail.com

Secretaria: horizontesecretaria@gmail.com

Redação: horizontenoticias@gmail.com

 
Zircon - This is a contributing Drupal Theme
Design by WeebPal.