N Engenheiros

Projeto TrailGazersBID reúne virtualmente para discutir a sustentabilidade de vários trilhos no Espaço Atlântico

Os parceiros do projeto europeu TrailGazersBID encontraram-se num espaço virtual, devido à emergência da Covid-19, e apresentaram os mais recentes trabalhos para a implementação efetiva deste projeto, que promove o desenvolvimento sustentável das comunidades rurais em oito trilhos piloto no Espaço Atlântico.

O objetivo desta reunião foi compartilhar tecnologia e experiências para contribuir para o desenvolvimento ambiental, económico e social das áreas naturais e das populações locais.

O projeto, que durará até março de 2022, avaliará, em primeiro lugar, o retorno socioeconómico dos investimentos em infraestruturas de trilhos, ajudando a definir critérios de maior eficiência. Em segundo lugar, irá explorar melhorias na promoção desses espaços naturais com o uso de novas tecnologias, como as redes sociais, aplicativos de realidade aumentada e ferramentas de marketing digital.

Dos dez parceiros, oito têm itinerários piloto incluídos no projeto: Plazaola (Navarra), Chemin De Mémoires (Bretanha), Taff Trail (Gales do Sul), La Caldera de Taburiente (Ilhas Canárias), Knocknarea / Killaspugbrone Loop (North West Irlanda), Níveis em polegadas (Irlanda do Norte), Montanha Sagrada (Portugal) e Sete Vale Suspensos (Portugal).

 

Monitorização

A Universidade do Algarve, que trabalha no trilho dos “Sete Vale Suspensos”, experiência piloto na rede de trilhos do Algarve, propôs ao Comitê, com base em revisão da literatura, as melhores metodologias para o cálculo do efeito multiplicador dos investimentos em turismo relacionado com estes percursos. Seguindo as diretrizes metodológicas de cálculo do efeito multiplicador, destacou-se a necessidade de desenvolver contactos com as várias partes interessadas, nomeadamente residentes e empresas, que permitam identificar as receitas de cada setor e o bem-estar económico local. Também foram apresentadas as ações propostas no campo da participação para envolver a população e ampliar os benefícios do projeto.

A Universidade do Algarve já colaborou com o Município de Lagoa, que é a principal unidade de gestão de trilhos da região. Nos próximos meses, a Academia irá trabalhar no efeito multiplicador da aplicação de investimentos na formação do Grupo Consultivo do Projeto e continuará as reuniões programadas para definir, entre outras questões, as sessões do Programa de Embaixadores da Comunidade, que serão realizadas na área de acordo com os interesses e necessidades detetados.

O trilho “Sete Vale de Suspensos”, selecionado como um dos melhores destinos europeus, envolve uma ampla gama de partes interessadas e tem um alto potencial para melhorar a atratividade da região e das atividades turísticas baseadas na natureza, revivendo a economia rural local e a vida comunitária sustentável. Como mostram os primeiros resultados utilizando tecnologias sensoriais digitais, este percurso recebe continuamente um aumento de turistas, principalmente durante os fins-de-semana e feriados nacionais. Tendo isto em consideração, é importante destacar a capacidade de expandir a rede de trilhos, promovê-las como destino de férias, envolvendo uma colaboração conjunta com outros projetos internacionais, iniciativas ou empresas privadas.

 

Orçamento de 2,5 milhões de euros

O TrailGazersBID é cofinanciado pelo programa Interreg Atlantic Area, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, e possui um orçamento de 2,5 milhões de euros.

O estudo dos oito trilhos piloto representa uma oportunidade para os atores locais, grupos comunitários, entidades municipais ou pequenas empresas colaborarem no desenvolvimento de novas iniciativas de turismo de natureza. As experiências resultantes serão traduzidas num conjunto de ferramentas transferíveis para a gestão e promoção de itinerários sustentáveis. Em suma, será um impulso ao desenvolvimento rural.

 

Ademar Dias

Partilha este artigo