N Engenheiros

42% dizem que o próximo veículo que vão comprar será elétrico ou híbrido

Para captar a atenção e conquistar automobilistas, o setor automóvel terá de continuar a reinventar-se e a oferecer novas soluções, mais ecológicas, aos seus clientes. O Observador Cetelem Automóvel 2021 questionou os consumidores sobre qual será a energia do próximo veículo que planeiam adquirir e cerca de 1 em cada 2 respondeu que o seu próximo veículo será híbrido ou elétrico.

De notar que estas opções são também influenciadas pelo nível de rendimento: os inquiridos com rendimentos mais elevados tendem a optar por escolhas mais ecológicas do que aqueles que têm rendimentos baixos ou médios. Para estes consumidores, a gasolina continua a ser a prioridade, seguindo-se o diesel. O custo mais elevado do automóvel elétrico e do híbrido é, assim, um fator impeditivo importante.

Estes dados vão ao encontro da tendência que os mercados elétrico e híbrido atravessam: em 2019, estes dois mercados começaram a representar volumes de vendas significativos – 15% na Holanda, mais de 5% na China e em Portugal e mais de 3% em França, na Alemanha, na Bélgica e no Reino Unido.

Os resultados do estudo reforçam a ideia de que os automóveis ecológicos, em particular os elétricos, podem ser parte da solução para vários problemas ambientais: os inquiridos acreditam que estes automóveis podem ajudar a resolver problemas relacionadas com a poluição do ar (85%), a poluição sonora (82%) e o aquecimento global (79%).

Mas, no momento da compra de um elétrico, há um ponto a ter em conta: as redes de carregamento, que são fundamentais, mas ainda representam um calcanhar de Aquiles nesta indústria. Assim, um terço dos inquiridos acredita que cabe ao Estado reforçar esta rede; e cerca de 30% acredita que as empresas de energia também devem ser responsáveis pela sua implementação.

 

Ademar Dias

Partilha este artigo