Rota do Petisco 2021

8 em 10 pessoas acreditam que o futuro da indústria automóvel será elétrico

Muito se tem discutido sobre o futuro da mobilidade urbana e, em particular, do setor automóvel. Sobreviverão os carros movidos através de combustíveis fósseis? Serão estes substituídos por soluções mais recentes e ecológicas, como automóveis híbridos ou elétricos? Será que, a médio/longo prazo, a indústria automóvel perderá toda a sua importância económica?

O Observador Cetelem Automóvel 2021 procurou compreender por onde passará o futuro do setor automóvel e os portugueses não têm dúvidas: 82% responderam que o veículo elétrico é o futuro da indústria, um número acima da média europeia (73%) e da média mundial (77%). O Brasil (91%), a Polónia (87%) e a Turquia (87%) são os países que mais acreditam nesta solução e, por outro lado, a Bélgica (55%), a Alemanha (56%) e a França (62%) os menos convictos.

A fé no automóvel elétrico como salvador da indústria também se mede pelo plano de investimentos dos fabricantes de automóveis em veículos híbridos e elétricos, que tem aumentado de ano para ano, prevendo-se que assim continue.

Será, portanto, um divórcio impossível entre a indústria e os consumidores? Os números apontam para que sim, mas, para garantir que não há divórcio, há uma exigência por parte dos consumidores para que os carros do futuro tenham muito poucas semelhanças com os carros de hoje. Ambiciona-se que sejam mais económicos e ultra tecnológicos, mais sustentáveis e com maior autonomia.

 

Ademar Dias

Partilha este artigo

N Engenheiros