N Engenheiros

ACTA traz a Loulé “Instruções para abolir o Natal”

A ACTA – Companhia de Teatro do Algarve, traz a Loulé, a 22 de outubro, pelas 21h30, uma peça que antecipa o Natal para outubro. Na verdade, o retrato nem sequer é bem do mês de dezembro. No palco e em pano de fundo está a crise financeira de 2008 e aquilo que nos levou até lá. “Não são necessários vastos conhecimentos para percebermos que existimos num universo socioeconómico com várias crises e cada uma delas tem origem diversa”, adianta a ACTA.

Ainda que incida sobre um momento-chave da economia global (o crash de 2008) que muitos poderiam considerar tema mais dedicado a adultos, a peça é considerada uma ferramenta de reflexão e de aprendizagem também para os jovens. E daí que a ACTA, em conjunto com o Cineteatro Louletano, tenha decidido apresentar no mesmo dia à tarde uma sessão exclusiva para alunos do 3º ciclo das escolas de Loulé.

A alta-roda da Finança nem sempre fica bem nesta fotografia, ou melhor, nesta peça: “Temos apenas uma certeza: o mundo financeiro é impenetrável, incompreensível e, provavelmente, não é gerido por seres humanos. Mas, se tivéssemos a oportunidade de entrar numa destas reuniões? Se nos fosse dada a oportunidade de saber – honestamente – o que acontece dentro das portas fechadas dos gabinetes dos arranha-céus espelhados?”, questiona a Companhia sedeada em Faro.

É portanto uma peça que nos faz pensar sobre a crise – e sobre as variadas crises que enfrentamos como humanos.

Baseada numa obra de Michael Mackenzie, “Instruções para Abolir o Natal” abre as portas de um desses gabinetes, que pode estar em qualquer lugar do mundo, e apresenta-nos a reunião do ajuste de contas. Uma reunião que nos mostra que afinal podemos viver uma vida inteira sem nos confrontarmos com as consequências dos nossos atos, especialmente quando estão longe do nosso olhar (atento). Ou será que já não é assim?

“Instruções para Abolir o Natal”, teatro para ver a 22 outubro no Cineteatro Louletano, estrutura cultural no domínio das artes performativas da Câmara Municipal de Loulé, integrado na Rede Azul – Rede de Teatros do Algarve e na Rede 5 Sentidos.

 

Ademar Dias

Partilha este artigo