Rota do Petisco 2021

Avaliação das casas atinge novo recorde de 1.212 euros por metro quadrado

A avaliação que é feita pelos bancos às casas na hora de conceder financiamento para a compra voltou a aumentar, atingindo um novo máximo histórico. Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), em maio deste ano a avaliação atingiu os 1.212 euros por metro quadrado, uma subida de 12 euros em comparação com o mês anterior.

“Em maio de 2021, o valor mediano de avaliação bancária, realizada no âmbito de pedidos de crédito para a aquisição de habitação, fixou-se em 1.12 euros por metro quadrado, tendo aumentado 1,0% face a abril (1.200 euros/m2)”, indica o gabinete estatístico. Ou seja, houve um aumento de 12 euros na variação em cadeia.

Face ao mês homólogo o aumento é mais expressivo, de 8,8% (mais 98 euros). No entanto, o INE ressalva que no mês de maio do ano passado “tinha ocorrido pelo segundo mês consecutivo uma redução significativa do número de avaliações em consequência da pandemia Covid-19”.

Mas o que significa este valor? Esta avaliação indica que um imóvel de 100 metros quadrados está a ser avaliado em 121.200 euros. Em maio de 2020 a avaliação ficava-se pelos 111.400 euros. No entanto este valor é apenas estatística, sendo diferente em cada região do país.

 

Lisboa e Algarve têm as avaliações mais elevadas

A Área Metropolitana de Lisboa e o Algarve continuam a apresentar valores superiores à mediana do país, tal como no mês anterior. Em Lisboa o valor é 31% superior (1.591 euros por metro quadrado) e no Algarve 29% (1.526 euros), segundo o gabinete estatístico. Superior à mediana está também o Alentejo Litoral, com mais 2%.

Em sentido inverso, é a região Beiras e Serra da Estrela (NUTS nível III) “a que apresentou o valor mais baixo em relação à mediana do país (-44%)”. Já ao olhar para as NUTS nível I, é o Alentejo que apresenta o valor mais baixo, com as casas a serem avaliadas em 860 euros por metro quadrado.

“O maior aumento face ao mês anterior registou-se no Centro (1,0%), tendo a Região Autónoma da Madeira apresentado a descida mais acentuada (-0,8%)”, refere o INE, acrescentando que, face ao mesmo mês de 2020, o maior aumento deu-se no Norte (7,6%) e o menor nos Açores (1,5%).

Ademar Dias

Partilha este artigo

N Engenheiros