N Engenheiros

Câmara Municipal de Albufeira apresenta serviço destinado à comunidade surda

A comunidade surda de Albufeira tem um novo serviço de comunicação destinado à comunidade surda. Trata-se do Serviin, um serviço de vídeo-interpretação em Língua Gestual Portuguesa (LGP) que permite colocar surdos e ouvintes em comunicação, disponível através via Skype das 08h00 às 23h00. A comunicação é intermediada por um intérprete licenciado em LGP, que comunica gestualmente com a pessoa surda e oralmente com o ouvinte. O presidente José Carlos Rolo considera tratar-se de uma “medida agregadora e inclusiva” que retrata o empenhamento da autarquia em disponibilizar condições para que estes cidadãos consigam aceder aos serviços prestados pelo Município de forma autónoma, bem como garantir um socorro mais rápido e eficaz, sempre que necessário.

Para o efeito, os serviços de atendimento do Município já estão devidamente equipados para comunicar com este grupo populacional mais vulnerável “de forma inclusiva e integradora”, sublinha José Carlos Rolo.

O Serviin, foi apresentado esta quinta-feira no Salão Nobre dos Paços do Concelho, na presença de responsáveis da GNR, Bombeiros Voluntários de Albufeira e Cruz Vermelha Portuguesa.

O presidente da Câmara Municipal de Albufeira destacou a importância da implementação do serviço que qualificou como uma medida agregadora e inclusiva. “A palavra inclusão não pode constar apenas dos discursos; é necessário que se transforme em ações concretas para que tal aconteça. É isso que estamos a assistir aqui hoje com a apresentação do Serviin, serviço que alargamos às forças de proteção e segurança com vista a garantir um socorro mais rápido e eficaz a toda a comunidade surda”. José Carlos Rolo frisou a importância de eliminar as barreiras de comunicação para que estes cidadãos consigam comunicar com o cidadão ouvinte e vice-versa em todas as atividades do seu dia-a-dia, desde a solicitação de informações sobre o serviço de abastecimento de água, à colocação de questões sobre o funcionamento de serviços culturais, educação, apoios sociais ou um pedido de ajuda no âmbito de um roubo ou acidente.

As vereadoras Ana Pífaro e Cláudia Guedelha, responsáveis pelo Gabinete de Deficiência e Serviço Municipal de Proteção Civil (SMPC), serviços que no âmbito do Serviin irão articular diretamente com a GNR, Bombeiros e Cruz Vermelha Portuguesa no sentido de obter uma resposta mais célere em termos de prestação de socorro à comunidade surda de Albufeira corroboraram a opinião manifestada pelo presidente de que é fundamental passar das palavras aos atos para que a inclusão aconteça.

Ana Pífaro destacou a propósito o prémio internacional atribuído, recentemente, ao Museu Municipal de Arqueologia no âmbito da acessibilidade, graças a melhoramentos introduzidos no referido espaço cultural a nível físico, audiovisual, auditivo e na disponibilização de conteúdos informativos em vários idiomas, incluindo a linguagem gestual. “Somos das poucas entidades a disponibilizar os meios para que a comunidade surda tenha a possibilidade de efetuar uma visita guiada com recurso à LGP e o único a disponibilizar a visita com tradução para linguagem gestual internacional, porque estamos conscientes que apesar de sermos todos diferentes, temos a obrigação de caminhar no sentido de todos termos os mesmos direitos”, justificou.

Por sua vez, Cláudia Guedelha frisou a importância da boa articulação entre os serviços da Autarquia e as forças de proteção e segurança com vista a reforçar a rapidez e eficácia da resposta em situações de socorro, quer no que respeita à comunidade surda residente quer aos turistas que nos visitam. “No fundo, trata-se de criar um concelho mais resiliente e inclusivo, equitativo e integrador ao nível da comunidade com características excecionais”, sublinhou.

De forma a assegurar a colaboração das forças de proteção e segurança no âmbito do processo, o Município entregou 3 portáteis com acesso à internet à GNR, Bombeiros Voluntários de Albufeira e Cruz Vermelha Portuguesa (1 portátil por cada entidade), equipamentos que permitem fazer as videochamadas para o Call Center do Serviin.

“É muito importante colocar a tecnologia ao serviço dos cidadãos, neste caso específico da comunidade surda do concelho, pelo que espero que estes equipamentos tenham uma boa utilização, que venham facilitar o trabalho de quem está na linha da frente, contribuindo para que a sua missão seja cumprida de forma mais célere e eficaz sobretudo nesta época atípica, que não conseguimos prever quando vai terminar”, sublinhou o presidente.

Refira-se que a nível mundial existem cerca de 70 milhões de pessoas com dificuldades auditivas, 4,5 milhões na Europa e 530 mil em Portugal, dos quais 120 mil são deficientes auditivos. Relativamente a Albufeira, os números conhecidos apontam para 121 pessoas que sofrem da referida patologia, no entanto este número não é considerado muito fiável, uma vez que há “dificuldade em identificar com rigor esta comunidade, que por não conhecer as respostas existentes, recorre aos familiares e amigos para tratar dos assuntos de que necessita”, refere a técnica do Gabinete de Deficiência da Autarquia.

O Serviin foi apresentado remotamente por um responsável da empresa, que explicou detalhadamente a funcionalidade do serviço com a simulação de duas situações de atendimento, que contaram com a colaboração de um funcionário da Autarquia e de uma agente da GNR.

Paralelamente, o Município aproveitou para entregar dois rádios portáteis para o Sistema Integrado de Rede de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) aos Bombeiros Voluntários de Albufeira, equipamentos com características ATEX, que permitem que não sejam uma potencial fonte de ignição quando operados em atmosferas explosivas, nomeadamente em atuações que envolvam fugas de gás, derrames acidentais de combustíveis, acidentes rodoviários envolvendo cisternas que transportem substâncias inflamáveis, derrames em postos de combustível, etc.

 

Ademar Dias

Partilha este artigo