Rota do Petisco 2021

Casa da Cultura de Loulé e autarquia anunciam horários do Loulé Jazz 2021

Cumprindo rigorosamente com todas as regras de segurança definidas pela Direção Geral de Saúde, a organização do Loulé Jazz anuncia horários da 26ª edição do Festival. Os horários podem estar sujeitos, ainda, a alterações de última hora. Solicitamos a compreensão do nosso público e parceiros, apelando para que consultem o nosso site e redes sociais facebook e instagram, onde são atualizadas todas as informações sobre o Loulé Jazz 2021.

 

26º Loulé Jazz

29, 30, 31 de julho e 1 de agosto 2021

Cerca do Convento do Espírito Santo em Loulé

 

PROGRAMA

 

29 Julho

Trio Zé Eduardo | 20h30

Trio João Frade com Jorge Pardo | 21h30

 

30 Julho

Two Maybe More | Sax Ensemble de Pedro Moreira | 20h30

Quarteto Maria João e Carlos Bica | 21h30

 

31 Julho

Trio Miguel Meirinhos | 20h30

Quinteto Eduardo Cardinho | 21h30

 

1 Agosto

Sexteto Bernardo Moreira | Entre Paredes | 20h30

Trio de Jazz de Loulé com Julian Argüelles | 21h30

 

Bilhetes já à venda

 

O Loulé Jazz regressa em 2021 com um cartaz muito especial. Na sua 26ª edição, o festival celebra o Jazz nacional com músicos de todo o país.

Mário Laginha, pianista, compositor e diretor artístico do Loulé Jazz, com raízes na cidade de Loulé, desenhou um cartaz totalmente português, sublinhando a qualidade artística dos músicos nacionais.

Bernardo Moreira, Eduardo Cardinho, João Frade, Maria João e Carlos Bica, Pedro Moreira, Miguel Meirinhos, Trio de Jazz de Loulé e Zé Eduardo são os nomes que brilham no centro da cidade de Loulé, entre os dias 29 de julho e 1 de agosto de 2021. A nível internacional, dois nomes juntam-se ao cartaz: o lendário Jorge Pardo é convidado do Trio do algarvio João Frade, e Julian Argüelles tem, também, uma participação especial no concerto do Trio de Jazz de Loulé, grupo que nasceu deste espírito de celebração da cidade que acolhe o universo do Jazz e da música improvisada desde 1995. O Loulé Jazz é, hoje, o Festival no ativo em Portugal, com maior número de edições realizadas. Não se realizou apenas no ano de 2020.

No total são oito ensembles que se reúnem ao longo de quatro dias, na Cerca do Convento do Espírito Santo, numa iniciativa da Casa da Cultura e Município de Loulé.

 

 

 

Artistas | Loulé Jazz 2021

 

 

Quinta-feira 29 de julho

A programação do Loulé Jazz de 2021 abre com dois artistas que melhor celebram a música feita a partir do Algarve.

 

Zé Eduardo Trio | 20h30

Zé Eduardo é um dos grandes mestres do Jazz Português, que combina a tradição com a contemporaneidade ao ritmo jazzístico. Contrabaixista nascido em Lisboa, há muito que fez do Algarve a sua morada, tornando-se num nome maior das paisagens sonoras do Sul.

No 26º Loulé Jazz apresenta-se em Trio ao lado de Simon Sidel e Marcelo Araújo.

Absolutamente imperdível.

Zé Eduardo | contrabaixo

Simon Seidl | piano

Marcelo Araújo | bateria

 

Trio João Frade com convidado Jorge Pardo | 21h30

João Frade é um acordeonista de exceção. Quem o ouve, jamais esquecerá.

A cumplicidade e energia do trio liderado por Frade com a participação da secção rítmica Cubana residente em Madrid é, indiscutivelmente, uma inevitável marca desta formação.

Michael Olivera e Yarel Hernandez procuram o diálogo constante numa dinâmica de proposta ao solista e criando ao vivo um balanço ímpar.

Neste concerto único e muito especial, participa ainda o lendário músico espanhol Jorge Pardo (Paco de Lucia, Chick Corea), numa das poucas oportunidades de assistir em palcos portugueses a uma verdadeira celebração musical Ibérica.

João Frade | Acordeão

Michael Olivera | Bateria

Yarel Hernandez | Baixo

convidado especial

Jorge Pardo | Flauta e Saxofone

 

 

Sexta-feira, 30 de julho

Pedro Moreira Sax Ensemble | Two Maybe More | 20h30

Ensemble de 8 saxofones, acompanhado por contrabaixo e bateria. Coletivo de artistas de talento e criatividade ímpares, num concerto a não perder.

"Editado em disco no mês de fevereiro de 2021, Two Maybe More é o título de um espetáculo de Sofia Dias, Vítor Roriz e Marco Martins que foi levado à cena no Teatro Maria Matos em 2014, e para o qual escrevi a música, fruto de uma encomenda da Fundação Gulbenkian. Na versão original a peça contava com 8 solistas do Coro Gulbenkian e um pequeno ensemble de câmara.

Desde então senti a vontade de adaptar a peça para um ensemble de 8 saxofones, ao qual se juntaria contrabaixo e bateria, para melhor explorar as possibilidades de abertura à improvisação, que não existe na partitura original, mantendo tanto quanto possível a consistência formal do original. Procura-se naturalmente o carácter vocal do saxofone como ponte entre as duas versões.

No original, a peça, tanto na música como na coreografia, pretende invocar diversas possibilidades e mecanismos de relação com o outro. Com essa ideia em mente propõe-se uma série de permutações de subgrupos de entre os 10 instrumentistas, de uma forma vagamente algorítmica, em que os 8 saxofones se dividem por vezes em dois quartetos antifonais, recorrendo a diversos procedimentos polifónicos."

Pedro Moreira

Pedro Moreira, Ricardo Toscano, Daniel Sousa, Tomás Marques, Bernardo Tinoco, Mateja Dolsak, Francisco Andrade, João Capinha | Saxofones|

Mário Franco | Contrabaixo

Luis Candeias | Bateria

 

Quarteto de Maria João e Carlos Bica | 21h30

Maria João e Carlos Bica são dois nomes incontornáveis quando se fala do jazz português. A colaboração entre estes dois nomes maiores da cultura português remonta à década de 80.

Agora, passados 25 anos, voltam a reunir-se com a cumplicidade de André Santos (guitarra) e João Farinha (teclas), dois dos mais talentosos artistas de uma nova geração de músicos portugueses, para, em palco partilharem canções do mundo.

MARIA JOÃO E CARLOS BICA QUARTETO

Maria João | Voz

Carlos Bica | Contrabaixo

André Santos | Guitarra

João Farinha | Teclas

 

 

Sábado 31 de julho

O terceiro dia do Loulé Jazz é dedicado à música “made in” cidade do Porto.

Trio Miguel Meirinhos | 20h30

Miguel Meirinhos aos 21 anos é já um pianista extraordinário. O seu concerto em trio é uma das grandes revelações do Loulé Jazz de 2021.

Este trio, que tem como casa a cidade do Porto, junta-se para interpretar repertório original e temas do cancioneiro americano. No universo que nos apresenta, a única regra é a diversidade, criando cenários sonoros contemplativos e, ao mesmo tempo, enérgicos. O ponto de partida é o jazz e a admiração pelos sagrados trios de piano que enaltecem esta forma de fazer música.

Miguel Meirinhos | Piano

Gianni Narduzzi | Contrabaixo

João Cardita | Bateria

 

Eduardo Cardinho Quinteto | 21h30

Um vibrafonista do Jazz.

Eduardo Cardinho apresenta música do seu disco "In Search of Light", na companhia do saxofonista João Mortágua, do acordeonista João Barradas e de uma sólida secção rítmica composta por Bruno Pedroso e Romeu Tristão. O vibrafonista tem se afirmado de forma indiscutível no panorama jazzístico português. A música que apresenta foi escrita e pensada para esta formação durante a sua estadia em Amesterdão, juntando alguns temas escritos recentemente. Eduardo Cardinho faz uma música luminosa e enérgica, em que junta capacidades técnicas instrumentais extraordinárias a um conceito próprio de composição e performance, resultando numa consciência profunda da música e numa vibrante inspiração.

Eduardo Cardinho | Vibrafone

João Mortágua | Saxofone

João Barradas |Acordeão Midi

Romeu Tristão | Contrabaixo

Bruno Pedroso | Bateria

 

 

Domingo 01 de Agosto

Bernardo Moreira Sexteto | 20h30

Um dos discos do ano |Entre Paredes|, editado a 23 de julho de 2021 celebra a obra de Carlos Paredes, numa incursão profunda e emocionante por Bernardo Moreira, acompanhado por um elenco de luxo. Aclamado pela crítica e público, é uma oportunidade única para assistir a uma viagem emotiva pelo reportório de um nome maior da música portuguesa.

“Tive umas incursões pela música popular, pelo fado de Coimbra, e comecei a sentir que a minha maneira de ouvir o Carlos Paredes tinha mudado”, disse Bernardo Moreira, nascido numa família com longa ligação ao jazz. Quase 20 anos depois Moreira conclui agora o seu trabalho sobre a obra de Paredes. O contrabaixista trabalhou três anos na produção musical do novo álbum, num processo de escuta renovada, apropriação, despojamento, maturação e arranjos da obra de Paredes.

Bernardo Moreira | Contrabaixo

João Moreira | Trompete

Tomás Marques | Saxofone alto e soprano

Ricardo J. Dias | Piano

Mário Delgado | Guitarra

 

Trio de Jazz de Loulé com Julian Argüelles | 21h30

Seguindo uma boa tradição o Loulé Jazz encerra a sua programação com o Trio da cidade.

O Trio de Jazz de Loulé é formado por três músicos e artistas da nova geração portuguesa, que têm assegurado uma presença cada vez mais forte na cena do Jazz nacional — João Coelho (piano), António Quintino (contrabaixo) e João Pereira (bateria).

A trajetória deste grupo tem aliado os percursos tão variados de cada um dos elementos e a versatilidade própria de quem se aventura em colaborações com muitos outros artistas, nacionais e internacionais.

Neste espetáculo, o Trio de Jazz de Loulé apresenta-se em palco com o conceituado saxofonista britânico Julian Argüelles.

Tendo sido equiparado às lendas do sax Wayne Shorter e Charles Lloyd (UKVibe), Argüelles será um aliado à força anímica e revigorante do Trio de Jazz de Loulé, prometendo um concerto muito especial naquele que será o último espetáculo do programa de 2021.

João Coelho | piano

António Quintino | contrabaixo

João Pereira | bateria

convidado especial

Julian Argüelles | saxofone

 

 

“Este não é um ano como os outros, todos sabemos. A comunidade dos músicos viu, desde o primeiro período de confinamento, o seu trabalho reduzido a nada, ou quase nada. Existindo um número tão elevado de músicos e bandas de Jazz em Portugal, achámos que seria o momento de os honrar fazendo um Festival de Jazz de Loulé totalmente a eles dedicado. Queríamos que viessem músicos de todo o país, dos muito conhecidos, aos por descobrir.

Gostávamos que o “Loulé Jazz” 2021 fosse uma grande festa do Jazz Português, que tem já - gostava de dar toda a ênfase possível a isto - uma variedade de estilos e uma qualidade que precisa, urgentemente, de ter uma maior expressão nos palcos do país.

A Casa da Cultura de Loulé, com o apoio e financiamento da Câmara Municipal de Loulé, torna possível que oito grupos, todos eles portugueses, venham este ano partilhar a sua música. A escolha não foi fácil. Haveria muitos mais a convidar. Talvez por isso faça todo o sentido fazer deste ano do "Loulé Jazz" o primeiro de muitos em que se celebrará o Jazz e os músicos Portugueses.”

Mário Laginha Diretor Artístico do Loulé Jazz.

 

 

“Passados 19 meses de um contexto sanitário tão particular, não é conhecido qualquer surto originado por algum evento cultural. É de louvar o esforço de agentes culturais, técnicos, artistas e todas as equipas envolvidas, em assegurar que a Cultura continue a cumprir o seu papel na sociedade.

É com toda a segurança que queremos proporcionar o reencontro entre público e artistas. A arte é fundamental na regeneração da economia. É também nosso papel assegurar a continuidade e qualidade das atividades culturais.”

Casa da Cultura de Loulé

 

Bilhetes à venda em

https://festivaisdeverao.bol.pt/Comprar/Bilhetes/97290-26o_loule_jazz_2021-convento_espirito_santo/

 

e no Cine-Teatro Louletano (https://cineteatro.cm-loule.pt/pt/menu/471/contactos.aspx)

 

Site Oficial | Casa da Cultura de Loulé

https://www.ccloule.com/festival-de-jazz-de-loule

 

Redes Sociais

https://www.facebook.com/loulejazz

www.instagram.com/loulejazz

 

 

Ademar Dias

Partilha este artigo

N Engenheiros