N Engenheiros

Cerca de dois terços dos inquiridos diz que PSP usa adequadamente a força

Cerca de dois terços das 2.562 pessoas que responderam a um inquérito sobre a satisfação da PSP "concorda totalmente" ou "tende a concordar" que a polícia usa adequadamente a força, segundo os resultados recentemente apresentados.

A Polícia de Segurança Pública divulgou as conclusões do inquérito nacional de satisfação da população sobre a PSP, iniciativa realizada pela primeira vez por esta força de segurança, e que teve como objetivo avaliar os índices de satisfação da população residente em Portugal relativamente à atividade da PSP, nomeadamente no que concerne à resposta a situações de emergência e empatia com o cidadão.

O inquérito, realizado sob coordenação do Centro de Investigação do Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna, conclui também que 83,9% dos inquiridos considerou como positiva a capacidade para lidar com problemas de segurança, destacando-se a apreciação de "boa capacidade" com 41,7% das respostas.

Quanto à visibilidade, 72,2% das respostas são positivas, referindo 31,2% "boa visibilidade" e 29,2% respondeu "satisfatória visibilidade".

Segundo o inquérito, 85,2% dos inquiridos fez uma avaliação positiva da capacidade da resposta policial em situações urgentes e quase a totalidade deu nota positiva à adequação de meios.

Os resultados mostram também que 81,8% das pessoas que responderam ao inquérito concordam que a PSP tem respeito dos cidadãos.

Quase a totalidade dos inquiridos considera a atitude dos polícias da PSP como satisfatória e cerca de 83% destaca a forma como os agentes lidam com os problemas de segurança.

Sobre os programas de proximidade da PSP, o mais conhecido pelos inquiridos é a Escola Segura, seguido do programa de apoio às vítimas de violência doméstica.

O inquérito foi feito entre os dias 05 de julho e 03 de agosto por telefone junto de 2.562 pessoas.

 

Ademar Dias

Partilha este artigo