N Engenheiros

Cultura e gastronomia na “Festa da Cataplana” em Castro Marim

A iniciativa não é nova, mas assume agora uma importância maior do que nunca. A Festa da Cataplana, que geralmente acontecia em junho, decorre este ano de 13 de setembro a 17 de outubro, procurando contribuir para colmatar os devastadores efeitos económicos que o combate à pandemia da covid-19 tem gerado, bem como colmatar alguns efeitos de uma época já tipicamente baixa.

Os segredos da Cataplana, temperada com o “melhor sal do mundo”, regressam ao concelho de Castro Marim, nesta que é a 6ª edição da Festa da Cataplana, uma iniciativa da Câmara Municipal de Castro Marim que pretende dinamizar turística e economicamente o território.

À iniciativa aderiram 12 restaurantes do concelho, que irão apresentar, pelo menos, dois tipos de cataplana, com preços atrativos e diferenciadores. Apesar da de marisco ser das cataplanas mais procuradas, os restaurantes estão a preparar também cataplanas de polvo, bacalhau, tamboril, cabrito e lombinho de porco.

Nesta edição, a autarquia integrou um elemento diferenciador, que é a animação musical. Todos os restaurantes aderentes serão, durante este período, animados por agentes culturais locais.

A Festa da Cataplana pretende promover e fomentar a cultura, a economia e a gastronomia locais, atraindo o público procura a qualidade e o diferencial gastronómico e assim impulsionando a dinâmica económica, este ano particularmente fragilizada, depois de um verão vivido no contexto pandémico e cujas quebras no turismo foram responsáveis por triplicar o desemprego no Algarve.

“Num ano tão difícil em termos económicos e de saúde pública, existe a necessidade, em harmonia com as medidas vigentes de saúde pública, ter um estímulo integrado e equilibrado à economia local, interligado com a cultura e com os agentes locais culturais”, realçou a vice-presidente e vereadora da Cultura da Câmara Municipal de Castro Marim, Filomena Sintra.

A organização apela a que o público faça a sua reserva junto dos restaurantes aderentes, bem como ao respeito pelas medidas de prevenção da COVID-19 - a higienização das mãos, a etiqueta respiratória e o distanciamento físico.

 

Ademar Dias

Partilha este artigo