N Engenheiros

Empresas perspetivam aumento de 7,2% nas exportações

As empresas exportadoras perspetivam um acréscimo nominal de 7,2% nas suas exportações de bens em 2021, o que significa uma revisão em alta, de 2,3 pontos percentuais (p.p.), da 1.ª previsão indicada em novembro de 2020, de acordo com os dados divulgados, esta segunda-feira, pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

"Esta revisão resulta da atualização das expetativas para as exportações Intra-UE (+1,9 p.p., para 7,0%) e Extra-UE (+3,2 p.p., para 7,5%)", segundo a agência de estatísticas.

A confirmarem-se estas perspetivas, "as exportações de bens em 2021 ficarão 10,6% aquém dos valores registados no Comércio Internacional em 2019", adianta ainda o INE.

Excluindo os combustíveis e lubrificantes, as perspetivas reveladas pelas empresas indicam um acréscimo esperado de 5,8% em 2021 (+1,3 p.p. face à 1.ª previsão).

Por Grandes Categorias Económicas (CGCE) destacam-se as "perspetivas de aumento das exportações de máquinas e outros bens de capital (+8,9%), devido às transações com os países Intra-UE (+13,2%) dado que para os para países Extra-UE se prevê uma diminuição (-1,1%) e de fornecimentos industriais não especificados noutra categoria (+7,1%), tanto para países Extra-UE como para países Intra-UE (+10,5% e +5,6%, respetivamente)".

A agência de estatísticas lembra que, na 1.ª previsão de 2021, as empresas perspetivavam já um aumento de 5,5% nas exportações de máquinas e outros bens de capital, "que se acentua assim de forma significativa nesta 2.ª previsão, correspondendo à maior revisão". 

 

Ademar Dias

Partilha este artigo