N Engenheiros

Golfe: Ricardo Melo Gouveia campeão nos Salgados em Albufeira

Ricardo Melo Gouveia e Tomás Santos Silva conquistaram as classificações individual e por equipas, respetivamente, no PGA Summer Pro-Am, cuja primeira edição a PGA de Portugal e a Greatgolf organizaram no Salgados Golf Course, do Grupo Nau, em Albufeira.

«Joguei bastante bem, não falhei nenhum ‘shot’ e a grande diferença foi ter metido muito mais putts. Ultimamente tenho feito resultados entre as 3 e as 5 abaixo do Par, mas faltava meter mais uns putts para fazer uma volta destas», disse Ricardo Melo Gouveia, depois de vencer o torneio individual com uma excelente volta de 64 pancadas, 8 abaixo do Par.

Pedro Lima Pinto, administrador e diretor geral da Greatgolf, jogou no mesmo grupo do atleta olímpico português e teceu-lhe rasgados elogios: «fez uma volta extraordinária de 8 birdies e 10 pares».

Ricardo Melo Gouveia não competia desde que tinha alcançado o seu melhor resultado da época, uma 36.ª posição, no Euram Bank Open, do European Tour, na Áustria, com um agregado de 2 pancadas abaixo do Par.

Nessa altura, em julho, o português de 29 anos ainda jogava com tacos Srixon. Agora, estreou-se em competição com um novo equipamento completo da Titleist e só pode ter gostado das sensações, dado o excelente resultado.

«Senti-me muito confortável com os tacos novos. Já estou bem adaptado e foi uma adaptação bastante fácil», acrescentou, neste que foi um torneio de preparação para a série de três torneios do European Tour em que vai participar em setembro: o Estrella Damm N.A. Andalucía Masters em Valderrama (para o qual tem um convite), o Portugal Masters no Dom Pedro Victoria Golf Course em Vilamoura (também com convite) e o Open de Portugal at Royal Óbidos (com entrada direta).

O PGA Summer Pro-Am contou com 21 jogadores profissionais e 63 amadores (lotação esgotada) e o 2.º lugar da classificação individual foi partilhado por Tomás Bessa e António Sobrinho, com 67 pancadas, -5 abaixo do Par.

Tomás Bessa, de 24 anos, é o atual campeão nacional, enquanto António Sobrinho, de 49 anos, é o recordista de 11 títulos no Solverde Campeonato Nacional PGA. Sobrinho, considerado muitas vezes como o “Tiger Woods português”, está de volta a Portugal mas é o profissional da Academias de Golfe de Angola, em Luanda.

Houve prémios monetários para os seis primeiros classificados. O 4.º posto foi dividido entre Vítor Lopes e João Carlota com 68 (-4) e o 6.º classificado foi Miguel Gaspar com 69 (-3).

Para além de António Sobrinho, que jogou pela primeira vez um torneio da PGA de Portugal em 2020, o PGA Summer Pro-Am marcou o regresso de António Rosado, o campeão nacional de 2009, que não jogava em Portugal há sete anos, pois andou a fazer carreira no Sunshine Tour da África do Sul.

Tó Rosado está de novo a residir em Portugal, desde fevereiro, não tem treinado muito, mas não se saiu nada mal, terminando em 11.º com 73 (+1).

Ricardo Santos, a grande figura da prova, por ser o melhor português no ranking mundial e membro do European Tour, concluiu a sua prestação no 8.º lugar com 71 (-1), empatado com Isabella Deilert, uma profissional sueca que este ano tem competido no Ladies European Tour, a primeira divisão europeia, depois de em 2019 ter arrancado dois top-5 no LET Access Series, a segunda divisão.

Na classificação coletiva o título foi para Tomás Silva, o campeão nacional de 2018 e 2019, associado aos amadores Ricardo Pereira, Rui Coelho e Lourenço Mestre, com 87 pontos.

Uma formação de peso, pois Ricardo Pereira é o ex-futebolista (guarda-redes) da seleção nacional, que no golfe tem tal qualidade que permite-lhe jogar alguns torneios de profissionais. Rui Coelho é o representante da Nike Golf em Portugal e Lourenço Mestre ganha com regularidade torneios “sociais” nas classificações net.

«Os meus parceiros jogaram muito. Combinámos bem e sempre que havia um a falhar, estava lá outro a dizer presente», comentou Tomás Silva.

Para o jogador português que ocupa a 4.ª posição no ranking do Alps Tour (uma das terceiras divisões europeias), é sempre especial jogar ao lado de uma das lendas do desporto nacional e também de um dos seus patrocinadores.

«O Rui Coelho, através da Norgolfe, acompanha-me desde o Campeonato Nacional Amador que venci em 2010. São dez anos a utilizar a melhor roupa de golfe do mercado. Não diria que é diferente, mas sabe sempre melhor quando conseguimos estar bem em campo e no final do dia ir para casa com a taça. O Ricardo Pereira é muito simples: É impressionante. Fez 67 ou 68. É supercompetitivo e está sempre a motivar quem está à sua volta. O Lourenço Mestre, tem um espírito incrível e subiu a parada nos últimos buracos, quando a equipa mais precisou», acrescentou o profissional do Club de Golf do Estoril.

O 2.º lugar foi para a formação do profissional Miguel Gaspar com os amadores Gérard Zivy, Henk Vandendool e Claes Rydén com 85 pontos.

Já a 3.ª posição foi para a campeã nacional Leonor Bessa com 84 pontos, associada aos amadores Maria Celeste Duarte, Rui Martins e Rui Pedro.

Nelson Cavalheiro, o presidente da PGA de Portugal, explicou que «com a colaboração da Greatgolf, que gere a carreira de alguns dos nossos melhores jogadores nacionais, tornou-se possível organizar este PGA Summer Pro-Am, no Salgados Golf Course, aproveitando o mês de agosto em que muitos golfista amadores estão de férias no Algarve».

Pedro Lima Pinto, da Greatgolfe, acrescentou que «foi um excelente evento, com a lotação esgotada e uma grande adesão dos profissionais».

Mário Azevedo Ferreira, o CEO do Grupo Nau e anfitrião do evento, salientou: «Fechámos com chave de ouro a série de torneios de golfe sociais que organizámos durante o verão. Ter no nosso campo os melhores profissionais de Portugal, numa iniciativa que esgotou em 48 horas é motivo de grande satisfação e estamos gratos ao Pedro Lima Pinto, da Greatgolf e ao Nelson Cavalheiro da PGA de Portugal por terem pensado em nós para esta iniciativa. No próximo ano faremos ainda melhor».

 

Ademar Dias

Partilha este artigo