Metade das PME portuguesas estão a recorrer a serviços 'freelance'

Metade das PME portuguesas estão a recorrer a serviços 'freelance' como consequência da pandemia, segundo um estudo da plataforma que liga empresas e 'freelancers' Fiverr agora divulgado sobre o impacto da Covid-19 nas PME portuguesas.

O uso de serviços de 'freelancer', nomeadamente o apoio ao cliente e relações públicas, bem como o trabalho remoto foram as mudanças mais significativas durante estes tempos desafiantes, conclui o estudo.

Metade das PME (46%) afirmaram que estão a recorrer mais a 'freelancers' agora, devido ao boom do trabalho remoto, e destes, 76% indicaram que chegam até aos profissionais através do passa a palavra, sendo que 62% revelaram que utilizam 'marketplaces'.

O estudo decorreu entre 05 e 26 de outubro de 2020 e incluiu 500 profissionais de quadros superiores de empresas da Amadora, Braga, Cacém, Coimbra, Funchal, Lisboa, Porto, Queluz, Setúbal e Vila Nova de Gaia oriundas de setores como Arquitetura, Engenharia e Construção, Educação, Cultura, Saúde, TI & Telecomunicações, Turismo ou Finanças.

 

Ademar Dias

Partilha este artigo