N Engenheiros

Portugueses querem mais economia circular (e menos desperdício)

A maioria dos portugueses (87%) quer ver a economia circular ser estimulada, considerando fundamental aumentar as práticas de consumo sustentável, de acordo com um estudo da Fixando.

As conclusões revelam que os inquiridos gastam, em média, 142 euros por ano em bens usados e que as razões da procura são essencialmente: o preço (83%), a sustentabilidade (37%), a economia circular (36%) e o contributo para a economia local/pequenos negócios (24%).

Os inquiridos disseram ainda que o que mais procuram em segunda mão é o mobiliário (45%), vestuário (41%), equipamentos eletrónicos (24%), livros (24%) e eletrodomésticos (19%).

Além disso, o mesmo estudo "confirma assim um novo comportamento, em que as boas práticas visam evitar o desperdício, através do reutilização de artigos de terceiros e de familiares, em que 46% dos inquiridos afirma reaproveitar, restaurar ou recuperar regularmente peças de mobiliário e 39% peças de vestuário inutilizadas por si ou pelos seus familiares", lê-se em comunicado.

O estudo da Fixando resulta de um inquérito junto de 6.300 utilizadores da plataforma, entre os dias 16 e 23 de novembro, sobre Sustentabilidade e Consumo Responsável.

 

Ademar Dias

Partilha este artigo