N Engenheiros

Projeto europeu desenvolve estratégias para reduzir captura acidental de cetáceos

Portugal, Espanha e França lançaram o projeto europeu “Estratégia coordenada de avaliação, monitorização e gestão de cetáceos na sub-região do Golfo da Biscaia e Costa Ibérica (CetAMBICion)”. Portugal participa no projeto através da Universidade do Algarve (UAlg), Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), do Centro Interdisciplinar de Investigação Marinha e Ambiental (CIIMAR), da Direção Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos (DGRM), e do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Esta iniciativa, coordenada pelo Conselho Superior de Investigações Científicas espanhol (CSIC), tem como objetivo reforçar a colaboração e a investigação científica entre os três países para avaliar o estado das populações de cetáceos e reduzir as suas capturas acidentais. Entre as ações a serem desenvolvidas até 2023, serão identificadas e compiladas medidas técnicas que permitam a limitação destas interações.

O projeto envolve 15 parceiros de administrações públicas e de organismos públicos de investigação e de conservação dos três países, em colaboração com o setor pesqueiro e Organizações Não Governamentais de Ambiente (ONGAs).

Ao longo de dois anos atualizará o conhecimento científico e avaliará a eficácia das medidas de mitigação implementadas no Golfo de Biscaia e Costa Ibérica.

A UAlg participa no CetAMBICion no Workpackage 4, proposta de medidas coordenadas para minimizar a captura acidental de cetáceos, sendo responsável pela tarefa que diz respeito a experiências piloto para avaliar a eficácia de dispositivos e procedimentos de redução de capturas acessórias, incluindo o uso de alarmes acústicos (pingers) nas pescarias de cerco e redes. O CetAMBICion aprofundará o conhecimento científico sobre a distribuição, habitat, abundância, características demográficas e taxas de mortalidade destas espécies na área de estudo. Entre as espécies prioritárias do projeto encontram-se o golfinho-comum (Delphinus delphis), o boto (Phocoena phocoena), o roaz (Tursiops truncatus), a orca (Orcinus orca), a baleia-comum (Balaenoptera physalus), a baleia-anã (Balaenoptera acutorostrata) e o zífio (Ziphius cavirostris).

O projeto enquadra-se na convocatória DG ENV/MSFD 2020 (DQEM - Diretiva Quadro Estratégia Marinha) da Comissão Europeia, e desenvolve-se em consonância com os requisitos da Diretiva Habitats e da Política Comum das Pescas.

Ademar Dias

Partilha este artigo