N Engenheiros

Tavira foi palco do “Encontro Regional de Cuidados Continuados Integrados do Algarve”

Sob o lema “Partilhar para Unir – Vivências das Unidades da Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) em tempos de COVID-19”, o Encontro Regional de Cuidados Continuados Integrados do Algarve decorreu no dia 28 de outubro de 2021, no Hotel Vila Galé em Tavira, numa organização da equipa de Coordenação Regional dos Cuidados Continuados Integrados do Algarve (ECRCCI).

Nesta edição, marcaram presença as coordenadoras da Comissão Nacional da RNCCI, Cristina Henriques, em representação do Ministério da Saúde, e Cristina Caetano em representação do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, que destacaram o crescimento da RNCCI, que tem no Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) um grande desafio, e a importância do reforço das parcerias entre os sectores social e privado, respetivamente.

A mesa de abertura contou ainda com a participação da presidente da Câmara Municipal de Tavira, Ana Paula Martins, e da directora do Centro Distrital de Faro do Instituto de Segurança Social, Margarida Flores, que salientaram o esforço dos diversos profissionais da Rede na garantia dos cuidados de saúde adequados aos utentes das estruturas residenciais e dos casos acompanhados no domicílio, durante este período da pandemia.

Enaltecendo o trabalho dos profissionais de saúde envolvidos no combate à COVID-19 e do comportamento da sociedade civil, o presidente do Conselho Diretivo da ARS Algarve, Paulo Morgado, relembrou que o Algarve, apesar de ter sido a região do país que mais sofreu com a quarta vaga de COVID-19, registou a mais baixa taxa de letalidade na faixa etária dos mais idosos.

Números que, segundo o próprio, “são explicados pelo excelente trabalho, pela partilha constante, pelo trabalho em rede entre todas as instituições, um conjunto de atores que souberam trabalhar para proteger as pessoas e salvar vidas”. “As nossas equipas souberam cuidar dos nossos idosos”, afirmou Paulo Morgado. O presidente da ARS Algarve referiu ainda que “há um conjunto de projetos e investimentos previstos para o sector solidário e social para os próximos quatro anos e que vão ser concretizados”.

Durante o encontro foram abordados diversos cenários experienciados durante a pandemia de COVID-19, como os procedimentos da vacinação contra a COVID-19 nas unidades da RNCCI-Algarve, apresentados pela coordenadora da ECRCCI do Algarve, Fernanda Faleiro; a forma como o surto de COVID-19 foi vivido pelas equipas e utentes da RNCCI; a definição de estratégias para a existência de visitas nas Unidades de Cuidados Continuados Integrados e as perspetivas que se criam para o futuro.

A coordenação da testagem nas Unidades de Cuidados Continuados Integrados foi outro dos desafios enfrentado durante este período de pandemia de COVID-19. “A partilha de profissionais entre as várias unidades de saúde e instituições, habitualmente uma mais-valia porque os profissionais levam as suas valências até várias unidades, neste contexto tornou-se uma preocupação”, explicou a vogal do Conselho Diretivo da ARS Algarve, Josélia Gonçalves, destacando a importância que o 1º rastreio da ARS Algarve realizado, em maio de 2020, pelos enfermeiros das Unidades de Cuidados na Comunidade (UCC) a todos os utentes e profissionais da RNCCI do Algarve assumiu ao nível da prevenção da COVID-19 nestas unidades. Entre os utentes e profissionais da RNCCI do Algarve foram realizados um total de 6875 testes.

A importância do trabalho em rede e a criação de sinergias no âmbito da pandemia da COVID-19 foi o tema do último painel, moderado pela vogal do Conselho Diretivo da ARS Algarve, Josélia Gonçalves, com a participação da Delegada de Saúde Regional do Algarve, Ana Cristina Guerreiro, do Comandante regional do Algarve do Comando de Emergência e Proteção Civil, Vítor Vaz Pinto, e do ex-coordenador Regional do Algarve do Combate à Covid-19 e atual presidente da CCDR Algarve, José Apolinário.

Lembrando que “não é possível fazer um balanço, porque a pandemia ainda não acabou”, a Delegada de Saúde Regional do Algarve destacou “a importância das parcerias com as diversas entidades locais e regionais”, liderada pela Saúde com os vários intervenientes, a Segurança Social, as forças policiais, as autarquias, a Proteção Civil”, que, com “o elevado nível de exigência, a partilha e a confiança transversais a toda a equipa”, permitiram desenvolver um trabalho extraordinário.

Neste âmbito, o Comandante regional do Algarve do Comando de Emergência e Proteção Civil, referiu que a Proteção civil funcionou como “facilitador neste trabalho de equipa entre as diversas entidades” e enalteceu o papel fundamental que a Delegada de Saúde Regional do Algarve assumiu na liderança do combate a esta pandemia na região.

José Apolinário sublinhou a importância da existência de um coordenador a nível central para responder ao enorme desafio e as incertezas que todos tiveram de enfrentar ao longo deste processo e agradeceu o empenho e a dedicação de todos os profissionais de saúde, dos autarcas, da proteção civil e de todas as entidades locais e regionais que se envolveram neste combate.

Após este encontro, dedicado à partilha de experiências entre as Unidades de Internamento, seguir-se-á uma segunda edição prevista para o primeiro trimestre de 2022, sob o mesmo tema desta vez direccionada para as Equipas da RNCCI.

 

Ademar Dias

Partilha este artigo